Sem dinheiro para saúde, Rio gasta R$ 18,4 milhões no réveillon de Copacabana

A organização de toda a festa  do réveillon do Rio vai custar R$ 18,4 milhões.

O valor inclui montagem de  palcos  da cidade, cachê de artistas e despesas com aluguel de balsas, entre outros gastos não apenas na praia de Copacabana mas também em outros oito pontos onde estão previstos shows de fogos e de artistas.

A estimativa foi feita pelo GLOBO, com base em informações divulgadas pela Riotur e publicações no Diário Oficial do Município.

Do cálculo, ainda  ficaram de fora apenas as despesas de rotina da prefeitura para mobilizar a máquina pública —  tais como a limpeza das praias e salários de servidores mobilizados para o evento.

Crise na saúde

No início de zembro, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), afirmou não ter como ajudar a prefeitura da capital fluminense, imersa em uma crise financeira.

“Não tenho como emprestar dinheiro. O estado está em recuperação fiscal. A crise da Prefeitura do Rio não pode ser resolvida pelo governo. Aliás, é bom lembrar que temos outros municípios para ajudar. O governo federal pode ajudar mais”, disse Witzel.

Em 13 de dezembro O Ministério da Saúde acertou o repasse de R$ 152 milhões para ajuda emergencial do Governo Federal ao município do Rio de Janeiro. 

Ou seja, o contribuinte brasileiro banca a queima de fogos em Copacabana.

Compartilhe: