Moraes já foi suspeito de receber informações privilegiadas da Policia Federal

Em março de 2016 o então ministro da Justiça, Alexandre Moraes (PSDB), do governo Michel Temer se encontrou com o superintendente da Polícia Federal (PF) em São Paulo, Disney Rosseti dois dias antes de, numa conversa informal com integrantes de movimentos sociais, em Ribeirão Preto (SP), dizer que naquela semana haveria mais uma fase da Lava Jato.     ( Vídeo abaixo).

A reunião está registrada na agenda oficial do ministro e ocorreu na sede da PF, em São Paulo.

A declaração provocou suspeitas de que o ministro tivesse sido informado com antecedência da Operação Omertà, que resultou na prisão do ex-ministro Antonio Palocci (PT) em 26 de março de 2016.

Alexandre de Moraes deu a declaração  durante um ato de campanha de um candidato tucano em Ribeirão Preto, em São Paulo do MBL (Movimento Brasil Livre), na qual, em tom de comemoração, disse que haveria outra etapa da Lava Jato “esta semana”.

“Teve a semana passada e esta semana vai ter mais, podem ficar tranquilos. Quando vocês virem esta semana, vão se lembrar de mim”, disse o ministro, de acordo com o jornal O Estado de S. Paulo.

Parlamentares na época criticaram a conduta de Moraes e apontaram uma instrumentalização da PF e da Lava Jato para influenciar nas eleições daquele ano.

Compartilhe: