Bolívia garante fornecer gás a MS: Acordo pode ser firmado ainda em dezembro

A Bolívia sinalizou concretamente a possibilidade de fornecimento direto de gás natural a Mato Grosso do Sul e um acordo de importação pode ser fechado na próxima semana, em Santa Cruz de La Sierra, quando o Estado apresentará uma planilha de demandas para os próximos anos.

Após a redução das importações pela Petrobras, há dois anos, o Governo do Estado busca uma saída para garantir a manutenção de um volume de importação que minimize os impactos com a queda do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

O governador Reinaldo Azambuja defende a importação conjunta do gás por distribuidoras regionais, dentre elas a MSGÁS, e tem cobrado do país vizinho a garantia de fornecimento do combustível para a termoelétrica de Ladário, em fase de instalação.

Reinaldo Azambuja destacou ainda a garantia do governo brasileiro de executar projetos estratégicos para a região de fronteira e na integração comercial latino-americana, citando a reconstrução da ferrovia que ligará Santos (SP) a Ilo, no Peru, passando pelo estado de Mato Grosso do Sul e a Bolívia. 

Cenário de consumo

Durante reunião na Governadoria, com a presença do governador Reinaldo Azambuja, dos ministros Luiz Sánchez e João Carlos Parkinson (coordenador-geral de Assuntos Econômicos do Ministério das Relações Exteriores), secretários estaduais e representantes da MSGÁS e da estatal petrolífera YPFB (Bolívia), além de empresários, ficou definido que o encontro de Santa Cruz de La Sierra, nos dias 12 e 13 de dezembro, será fundamental para a formulação dos acordos comerciais.

Após as ponderações do governador de MS, pedindo à Bolívia uma definição em relação aos pleitos do Estado, o ministro boliviano afirmou que seu país tem interesse na comercialização do gás extracontrato da Petrobras e hoje tem produção suficiente para garantir esse fornecimento. 

Ministro: maior acordo

O ministro boliviano demonstrou o grande interesse do seu país em fornecer o gás diretamente ao Estado e em conjunto com as companhias do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo – o grupo lançou um edital de Chamada Pública Coordenada, a fim de buscar um mercado mais competitivo e diversificado de fontes supridoras. “A Bolívia fará um dos maiores acordos comerciais com o Mato Grosso do Sul em todos os tempos”, disse Luiz Sánchez.

A reunião de Santa Cruz de La Sierra discutirá também novos contratos de importação de ureia e cloreto de potássio.

fonte: Silvio Andrade – Subsecretaria de Comunicação (Subcom)

Foto: Chico Ribeiro

Compartilhe: