Bolsonaro busca manter militância virtual nas redes sociais

Aliados de Jair Bolsonaro (PSL) temem que uma eventual saída de Carlos Bolsonaro do comando das redes sociais do pai ameace o desempenho na internet do presidente eleito.

Desde a vitória nas urnas e sob a tutela do filho, Bolsonaro fez 90 postagens no Twitter, para um exército de 2,5 milhões de seguidores.

Sem Carlos, a preocupação é que as interações despenquem. Dados do Google Trends mostram que o novo presidente possui hoje o mesmo índice de buscas que tinha em agosto, antes de ser vítima de facada em Juiz de Fora.

A avaliação de cientistas políticos é de que Bolsonaro precisa manter ativo o grande trunfo que o elegeu: a militância na internet.

Bolsonaro desperta três vezes mais interesse no internauta que o ex-presidente Lula, segundo o Google Trends.

Desde setembro, Bolsonaro teve três grandes picos de busca em seu nome: no dia da facada e no 1.º e 2.º turno das eleições.

fonte: coluna do Estadão

Compartilhe: