Congresso usa caso Coaf para pressionar Bolsonaro

 Informados de que a oposição planeja coletar assinaturas, a fim de abrir uma CPI para tratar do assunto Coaf, integrantes do Centrão cobram esclarecimentos do presidente eleito, Jair Bolsonaro, e de seu filho Eduardo.

A cobrança de aliados na direção da família Bolsonaro tem como pano de fundo insatisfações com a falta de espaço no primeiro escalão do governo.

Interlocutores do presidente da Câmara Federal Rodrigo Maia afirmam, nos bastidores, que a CPI só sairá do papel se houver um ambiente de crise instalado após a eleição na Câmara e no Senado, em 1.º de fevereiro.

Citam que, se o Planalto interferir na disputa e perder, sofrerá retaliações.

Além disso, se a lua de mel com o novo governo terminar antes do previsto, a CPI será sempre uma carta na manga.

 Embora Bolsonaro assegure que não vai vestir o figurino do toma lá, dá cá, articuladores políticos da equipe já começam a dar mais atenção a pedidos para cargos no segundo escalão.

O PRe o PSD, por exemplo, anunciaram apoio formal ao presidente eleito com a expectativa da ocupação de postos importantes. Até agora, no entanto, nada foi definido.

 

 

 

Compartilhe: