Desistir da CPI da Toga? “Só se me matarem”, diz Jorge Kajuru

A polêmica que envolve o senador Jorge Kajuru (PSB-GO) e o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), ganhou novos capítulos nesta semana.

Em entrevista ao podcast “Ilha de Vera Cruz”, o senador disse que, para acusar Gilmar Mendes de vender sentenças, não são necessárias provas, uma vez que os fatos falam por si.

“–Nessa entrevista à Rádio Bandeirantes o senhor chegou a dizer que ele vendia sentenças. – Não, eu não cheguei a dizer, eu disse. – E o senhor tem provas disso? – Você precisa ter provas de que o Paulo Maluf é corrupto? Você precisa ter provas de que o Sergio Cabral é ladrão? Você precisa ter provas de que o Eduardo Cunha é um bandido? Então como dizia o Millôr Fernandes ‘Há certas pessoas que você não precisa de provas’.”

Kajuru é um dos principais articuladores no congresso para a criação da CPI do judiciário.

No entanto, o parlamentar vem acumulando derrotas.

Mas o senador goiano ainda nutre esperanças, uma vez que a palavra final será do Plenário da casa.

“São 8 anos de mandato, só se me matarem, só se eu morrer, para eu desistir dessa CPI.”

fonte: João Paulo Machado, Agência do Rádio

Compartilhe: