Dezembro Verde: Campo Grande realiza blitz para conscientizar sobre abandono de animais

O Centro de Controle de Zoonozes e Bem-Estar Animal de Campo Grande (CCZ) inicia uma série de ações alusivas a campanha “Dezembro Verde”,  que visa chamar a atenção da comunidade sobre o aumento de casos de abandono de animais.

Considerado crime, o abandono de animais ainda é um problema recorrente. Muitas pessoas ainda abandonam seus animais nas ruas, em locais afastados, estradas e até trancados dentro de casa sem alimento e água suficientes ou pessoa para cuidar deles enquanto saem para viagens de férias.

Durante todo o mês o CCZ promoverá palestras em escolas públicas, blitz e ações de conscientização, com uso de material informativo,  como cartazes e panfletos, além de atividades lúdicas relacionadas ao tema.

As ações do Dezembro Verde buscam sensibilizar a população de que o abandono de animais é uma conduta criminosa, e colaborar para reduzir o índice de acidentes com os animais.

Dia D

No sábado (07) o CCZ irá promover, de 09h às 16h, uma ação na sede do órgão, com adoção de cães e gatos, distribuição de brindes e atividades infantis.

O  CCZ está localizado na Avenida Filinto Muller, 1601 – Vila Ipiranga.

Abandono é crime

Existe no Brasil uma população canina de 55,2 milhões e uma felina de 22 milhões, segundo estimativas do IBGE. No entanto, nem todos esses animais possuem um lar definitivo, por isso são chamados de animais em situação de rua.

Nesses casos, alguns já nascem de animais sem donos. Entretanto, alguns são abandonados por pessoas que adotaram ou compraram.

O abandono é uma forma de maus-tratos, considerado crime, e está previsto no artigo 32 da lei 9.605/98. A pena é de três meses a um ano de detenção e multa. Se houver morte do animal a pena é aumentada em um sexto a um terço.

Também é considerado crime manter animais em lugares anti-higiênicos ou que lhes impeçam a respiração, o movimento ou o descanso, ou os privem de ar ou luz. Outros exemplos são: deixar o animal sem água ou sem comida; abandonar animal doente, ferido, extenuado ou mutilado ou deixar de ministrar-lhe tudo o que humanitariamente se lhe possa prover, inclusive assistência veterinária.

Compartilhe: