Economista propõe plano liberal para Jair Bolsonaro

Jair Bolsonaro, pré-candidato à presidência da República, quer se fortalecer como opção liberal-conservadora nas eleições de outubro, e começa ouvir o economista Paulo Guedes, anunciado como seu possível ministro da Fazenda, caso ele seja eleito.

Bolsonaro diz agora que deixará as decisões ligadas à economia para Guedes, cujas ideias são conhecidas e respeitadas no mundo dos negócios.

Guedes diz que, para ampliar a sua base de apoio, Bolsonaro terá de formar uma aliança de centro-direita, que reúna as forças liberal-democratas e conservadoras em torno de sua candidatura, e propõe para ele um programa econômico de cunho liberal.

Na sua visão, depois de trinta anos de hegemonia social-democrata no Brasil, com o PT e o PSDB se alternando no poder, é hora de experimentar uma nova receita, para tentar tirar o País do atoleiro em que se encontra.

“A expansão ininterrupta dos gastos públicos corrompeu a democracia e estagnou a economia”, afirma. “A social-democracia deu uma contribuição, levou os pobres para o orçamento público, mas não teve coragem de mudar o Estado, cortar subsídios, privilégios.”,  concluiu Guedes.

 

fonte: O Estado

Compartilhe: