Em dois anos, tarifas bancárias sobem até 12 vezes a mais que a inflação

Na contramão da onda de acessibilidade e baixo custo, os bancos tradicionais continuam mantendo os preços dos serviços bancários em alta e promovendo reajustes abusivos de pacotes e tarifas avulsas.

É o que mostra a pesquisa do Idec que compara os preços dos  cinco maiores bancos do país (Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú e Santander), entre abril de 2017 a março de 2019.

O levantamento analisou 70 pacotes de serviços ofertados pelos bancos e constatou que o reajuste médio praticado foi de 14%, quase o dobro da inflação no período (7,45%). O maior reajuste foi aplicado pelo Bradesco, que teve variação de até 50% em um de seus pacotes.

Pacotes de tarifas com maior reajuste em dois anos de cada banco:

Banco

Nome do Pacote

(mar) 2019

(abr) 2017

Variação

Banco do Brasil

Personalizado I

56,20

49,40

14%

Bradesco

Classic 2

41,90

28,00

50%

Caixa

Super Caixa

42,90

29,35

46%

Itaú

Itaú 3.0

35,00

30,00

17%

Santander

Cesta Básica

32,00

26,90

19%

Santander

Padronizado II

21,00

17,70

19%

Santander

Padronizado IV

42,00

35,20

19%

Quando analisadas as tarifas avulsas, entre os 20 principais serviços mais utilizados pelos consumidores, também foram encontrados aumentos acima do esperado. Com exceção do Itaú, que reajustou sete tarifas (35% do total) acima da inflação, todos os bancos tiveram mais da metade dos seus serviços reajustados acima do índice. Foram encontrados 50 serviços com reajustes entre 10% e 89%, este último 12 vezes a mais que a inflação do período.

Tarifas avulsas com os maiores reajustes em dois anos de cada banco: 

Banco

Serviço Avulso

(mar)2019

(abr)2017

Variação

Banco do Brasil

Pagamento de conta no cartão de crédito

8,50

4,50

89%

Bradesco

Retirada no Cartão de crédito

16,00

10,00

60%

Caixa

Retirada no Cartão de crédito

11,00

6,50

69%

Itaú

Saque terminal eletrônico

2,50

2,05

22%

Santander

Compra e venda Cambio

30,00

20,00

50%

Fonte: Tabelas de tarifas disponíveis nos sites dos bancos | Elaboração: Idec

A pesquisa analisou ainda a atuação dos bancos digitais, que atraem clientes por oferecerem menos burocracia e em muitos casos anunciando “tarifa zero”. Os resultados mostraram que, entre os maiores bancos virtuais do País, todos possuem algum tipo de tarifa por algum serviço.

O Idec ressalta que é importante que o consumidor fique alerta para que os serviços oferecidos e preços não sejam incorporados ao discurso semelhante ao já existente do atual mercado.

O Instituto recomenda ainda a busca pelo histórico de reclamações de cada banco, a comparação entre os serviços tarifados e atenção aos anúncios destacados como “sem taxas”, “não praticamos cobrança de tarifas exageradas” ou “você não paga pela abertura e manutenção de sua conta”.

Confira a pesquisa

Compartilhe: