Lava Jato não pode parar por causa das eleições, diz Dallagnol

A coordenação da força-tarefa do MPF (Ministério Público Federal) na Operação Lava Jato defende ações e denúncias feitas por promotores e procuradores durante o período eleitoral.

“O Ministério Público deve agir no tempo das investigações e no tempo da justiça, não no tempo da política”, disse ao UOL o coordenador da força-tarefa, o procurador Deltan Dallagnol

Se existem provas daquela acusação, deve ser oferecida, deve ser iniciado o processo e aquela pessoa vai estar sujeita ao processo como qualquer outra pessoa, porque a lei deve valer para todos”, complementou. Dallagnol.

“A grande questão não é o momento da acusação, mas, sim, se a acusação é lastreada em provas que a sustentem. Essa é a questão que deve ser colocada em jogo”, declarou Dallagnol quando foi questionado se ações contra os presidência Fernando Haddad (PT) e Geraldo Alckmin (PSDB) não poderiam ser confundidas pela população com ações políticas.

 

fonte: Nathan Lopes, UOL

Compartilhe: