Liminar da ONU para Lula não tem nenhum valor jurídico

Não passa de conversa fiada da defesa do ex-presidente Lula a suposta “liminar” da ONU favorável ao preso por corrupção e lavagem de dinheiro.

Trata-se na verdade de uma “recomendação”, com valor semelhante ao de uma “nota à imprensa” ou “nota de solidariedade”, de caráter pessoal, dos funcionários que integram um comitê técnico de Direitos Humanos.

A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

 A “recomendação” do comitê técnico nem sequer foi endossada pelo Alto-Comissariado dos Direitos Humanos, este sim, órgão da ONU.

Ainda que a “recomendação” fosse da própria ONU, a assembleia geral não é instância de recurso da Justiça.

A “recomendação” foi arrumada pelo lobby de petistas ocupantes de boquinhas obtidas em Genebra por indicação de governos do PT.

Compartilhe: