Mais Médicos: Drible no Congresso foi instrução do PT a embaixador

As negociações da embaixada do Brasil em Havana com o governo de Cuba para o programa “Mais Médicos” foram instruídas pelo ex-ministro das Relações Exteriores Antônio Patriota.

Inclui as tratativas para driblar a exigência constitucional de aprovação do Congresso brasileiro, criando uma operação triangular com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), que se prestou ao papel  de repassar à ditadura o dinheiro confiscado dos médicos cubanos.

Patriota não se mexeu em defesa do então embaixador em Cuba José Eduardo Felício.

A iniciativa foi de Cuba, para obter dinheiro fácil, confiscando dos próprios médicos 70% dos salários. Faturou, no total, R$7,1 bilhões.

A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

 

Compartilhe: