Ministro usa PF e PGR para ir à forra contra críticas ao Supremo e MBL

O presidente do STF ministro Dias Toffoli, enviou ofícios na noite desta quarta (5) à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e ao ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, pedindo providências sobre “ofensas dirigidas” à corte por um advogado durante um voo nesta terça (4).

Num voo de São Paulo a Brasília, o advogado Cristiano Caiado de Acioli, 39, abordou o ministro do STF Ricardo Lewandowski e disse, enquanto filmava a reação do magistrado:

“Ministro Lewandowski, o Supremo é uma vergonha, viu? Eu tenho vergonha de ser brasileiro quando eu vejo vocês”.

O ministro respondeu a Acioli e pediu ao comissário de bordo que acionasse a Polícia Federal.

Acioli disse nesta terça que considerou a reação de Lewandowski como um abuso de poder, e que deve estudar providências contra o ministro.

Na noite da terça, o MBL (Movimento Brasil Livre) projetou com luzes a palavra “vergonha” na fachada do prédio do STF.

As ações de Acioli e do MBL foram repudiadas por entidades de juízes e membros do Ministério Público nesta quarta.

 

foto:  (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Compartilhe: