Ministros do STF aprovam aumento do próprio salário em 16,38%

Apesar da inflação estima dos últimos doze meses ser de 4,2%, por 7 a 4, o STF incluiu nesta quarta-feira (8) um reajuste de 16,38% no salário dos próprios ministros na proposta orçamentária a ser encaminhada ao Ministério do Planejamento.

Considerado o teto do funcionalismo público, a remuneração atual dos ministros do STF é de R$ 33.763,00 e pode subir para R$ 39.293,32, um aumento de R$ 5,5 mil.

O impacto estimado do reajuste é de R$ 2,77 milhões para o STF e um efeito cascata de R$ 717,1 milhões só para o Poder Judiciário, com impacto em todos os poderes.

Para acomodar o impacto orçamentário do reajuste, o STF prevê o remanejamento de recursos da área de comunicação institucional, atingindo a TV Justiça.

A proposta orçamentária do STF para o ano de 2019 é de R$ 741,4 milhões.

Futuro presidente do STF, o ministro Dias Toffoli disse que a inclusão do reajuste não provocará aumento de despesas, já que a Corte cortará gastos do próprio orçamento.

Votaram a favor da inclusão do reajuste os ministros Marco Aurélio Mello, Gilmar Mendes, Alexandre de Moraes e Luiz Fux, que será vice-presidente na gestão Toffoli.

Compartilhe: