MP ataca Bolsonaro para impedir reforma da Previdência, diz ex-ministro

O deputado Ricardo Barros (PP-PR) acusa o MP (Ministério Público) de fazer “vazamentos seletivos” no caso do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) para prejudicar a votação da reforma da Previdência.

A Procuradoria Regional da República da 2ª Região nega vazamentos.

“Esses vazamentos são produzidos pelo Ministério Público. Por quê? Porque o Judiciário e o Ministério Público são as categorias mais privilegiadas. E portanto serão as mais prejudicadas com a votação da reforma”

De acordo com ele, o Judiciário e a Promotoria são algumas das corporações e lobbies que precisam de “enfrentamento” do Congresso, assim como a indústria farmacêutica, de pneus e de fertilizante

Em entrevista ao UOL, Barros diz que a estratégia também foi usada pelo ex-procurador-geral Rodrigo Janot em maio de 2017, quando foram divulgados vídeos e áudios comprometedores de Temer e seus assessores relacionados a propinas pagas pelo frigorífico JBS.

 

 

Fonte: Eduardo Militão,  UOL, em Brasília

foto: Edilson Eodrigues

 

Compartilhe: