MS discute com chineses investimentos no corredor ferroviário bioceânico

Representantes de grupos empresariais chineses e portugueses no Brasil discutiram formas de investimento no novo projeto da Estrada de Ferro Paraná Oeste (Ferroeste), que liga os portos de Paranaguá (PR) e Antofagasta, no Chile.

As perspectivas foram divulgadas nesta quinta-feira (8) em reunião realizada em Curitiba (PR) com a presença do governador Reinaldo Azambuja.

Possibilidades de rotas e ramais que ligarão Brasil e Chile, passando pelo Paraguai e pela Argentina, foram apresentadas no encontro.

Atualmente, a Ferroeste liga as cidades de Cascavel a Guarapuava. Novos projetos pretendem aumentar a extensão da linha de ferro até as cidades de Dourados e Maracaju.

Mato Grosso do Sul tem interesse na construção de uma nova linha de escoamento da produção por meio do Oceano Pacífico. “

“Seremos mais competitivos com essa nova saída. Agora é olhar a melhor lógica e modelagem”, afirmou Reinaldo Azambuja.

Corredor ferroviário

Com 2,5 mil quilômetros, o projeto inicial de implantação do corredor bioceânico ferroviário facilita as exportações do Cone Sul do Brasil para os países asiáticos pelo Oceano Pacífico.

O estudo já foi apresentado ao presidente Jair Bolsonaro, ao presidente paraguaio, Mario Abdo Benítez, ao ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e ao diretor-presidente da Itaipu, Joaquim Silva e Luna, informou o governo paranaense.

Foto: Tiago Stocchero

Compartilhe: