“No Brasil, lutamos contra o sistema”, afirma Deltan Dallagnol

Partidos e o Congresso ainda não encararam de frente o problema da corrupção.”

A frase do procurador da República Deltan Dallagnol ao fazer um balanço dos 5 anos de Operação Lava Jato no Brasil é uma constatação, mas também uma cobrança.

“Esperamos que possam acontecer mudanças nesta nova legislatura.”, diz Dallagnol

Para a Lava Jato, decisão do STF do próximo dia 13, que decide se processos de crimes comuns como corrupção e lavagem de dinheiro que tiverem atrelados crimes eleitorais devem ser enviados todos para Justiça Eleitoral, pode ser algo “catastrófico” para a operação.

“Não tem como funcionar”, afirmou o coordenador da Lava Jato, em entrevista ao Estadão.

Deltan reconhece que a “Lava Jato sempre esteve por um triz”. “No Brasil, lutamos contra o sistema.”

Deltan avalia que houve avanços no combate à corrupção e que as pessoas estão mais interessadas em política.

Segundo ele, existem vários acordos de delação ainda em negociação, novas investigação avançam com políticos que perderam o foro privilegiado na mira e lembra que “o sistema bancário precisa também ser chamado à responsabilidade pelas eventuais falhas que contribuíram para a lavagem de dinheiro” descoberta no esquema Petrobrás.

 

Fonte: Ricardo Brandt, O Estado

Compartilhe: