PF vai apurar se ação de hackers foi paga com bitcoin

A Polícia Federal está cruzando informações encontradas nos celulares e computadores que investiga a invasão de telefones de autoridades, com registros de corretoras de moedas virtuais – as criptomoedas.

A ideia é checar se há relação entre o dinheiro identificado em contas com a eventual venda de mensagens, o que poderia configurar outros crimes, além da invasão de dispositivos informáticos.

Os investigadores buscam possíveis patrocinadores dessas invasões.

As investigações sobre o rastro do dinheiro começaram antes da prisão de Delgatti e de outros três suspeitos, com um pedido de informações a corretoras que atuam no setor de criptomoedas.

De acordo com uma fonte que teve acesso à investigação ouvida pelo Estado, o objetivo é cruzar possíveis números encontrados nas mensagens com o chamado “blockchain”, uma espécie de livro contábil aberto que registra transações financeiras do mercado de criptomoeda.

A PF  já recebeu os dados das empresas que os suspeitos usavam para operar com a moeda virtual – Foxbit, Braziliex e Marcado Bitcoin.

fonte: O Estado

Compartilhe: