Receita admite apuração contra Gilmar Mendes, mas nega fiscalização

A Receita Federal  afirmou nesta segunda-feira, 11, que a apuração sobre o ministro Gilmar Mendes do STF, é preliminar e não resultou em procedimento de fiscalização.

Em nota, o Fisco informou que a menção, em documento interno,  não está amparada em evidências verificadas durante análise prévia.

Segundo a Receita, foi identificado “dossiê” com os documentos citados por Gilmar, bem como todas as pessoas que tiveram acesso ao procedimento de tramitação restrita.

“A identificação e a responsabilização pelo vazamento estão sob apuração em procedimento específico, conduzido pela Corregedoria da Receita Federal”, disse o órgão em nota.

No documento, o auditor da Receita afirma que Guiomar, mulher de Gilmar, “possui indícios de lavagem de dinheiro, tendo recebido valores distribuição de lucros/dividendos em sua declaração de Imposto de Renda sem a devida correspondência na ECF, uma declaração de informações contábeis e fiscais do escritório de advocacia”.

Compartilhe: