Receita foi atacada por “políticos afetados pelas investigações”, diz Sindifisco

O presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais (Sindifisco), Kleber Cabral, disse que a tentativa do Congresso Nacional de limitar a atuação da Receita Fderal é uma reação ao caso do ministro do STF, Gilmar Mendes.

Em fevereiro, a corte abriu inquérito para apurar, entre outros fatos, o vazamento de que Gilmar era alvo de uma fiscalização da Receita. “Já nos disseram claramente: vocês chegaram no STF, vai ter reação. Não ia ficar barato”, disse Cabral.

Nesta quinta-feira, 9, foi aprovada em comissão da Câmara Federal emenda que limita a competência dos auditores da Receita à investigação de crimes tributários.

Para Cabral, isso é parte de um ataque à Receita por “poderosos afetados pelas investigações”.

Ele afirmou que há cerca de 100 parlamentares que já foram autuados ou estão sendo investigados pelo fisco. “Há um grupo que realmente se interessa em restringir atribuições da Receita”, acusou.

Cabral disse que a emenda inviabiliza o trabalho do órgão e pode anular as investigações da Lava Jato.

Compartilhe: