Vaticano desmente Lula e diz que terço abençoado é fakenews

O Vaticano esclareceu na tarde desta terça-feira (12) que o advogado argentino Juan Grabois, não representava o Papa Francisco ao ser impedido de visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na prisão em Curitiba (PR).

A posição do Vaticano expôs a fakenews divulgada pelo site do presidente Lula, com o título: “Papa Francisco envia rosário a Lula”.

Porque, segundo o esclarecimento publicado na agência oficial de notícias do Vaticano, advogado argentino Juan Gabrois “não teve permissão para se encontrar com Lula”.

Nota publicada no site da agência Vatican News também afirma que Grabois disse que a visita ao ex-presidente condenado por corrupção era pessoal e não em nome do Santo Padre.

E destaca que o terço levado por Grabois ao petista não foi enviado pelo Santo Padre, apenas “abençoado” pelo Papa, como tantos levados a prisioneiros do mundo, sem entrar no mérito de realidades particulares.

O esclarecimento foi retirado do site Vatican News, mas ainda pode ser acessado em cache, clicando aqui.

Compartilhe: