Luciano Huck espera Moro para decidir se será candidato em 2022

O que irá determinar a entrada ou não do apresentador Luciano Huck  no páreo presidencial será a definição do nome dos contendores que nele estarão — um em particular, Sérgio Moro.

Colaboradores do apresentador veem espaço para o fortalecimento de um nome localizado numa espécie de “centro expandido” que inclui de liberais reformistas a representantes da centro-esquerda .

Povoam esse centro expandido pré-candidatos, assumidos ou não, como o ex-ministro da Saúde, Luiz Mandetta (DEM); o ex-ministro da Justiça, Sergio Moro; o governador de São Paulo, João Doria (PSDB); e o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, tucano que passou a disputar a vaga com Doria.

Para o entorno de Huck, um enxugamento desse campo não seria suficiente para garantir a competitividade do apresentador.

Para que isso ocorra, é preciso ter certeza de que um nome não estará no páreo, o de Sergio Moro.

Mandetta terá dificuldades em recuperar a tração que perdeu desde que deixou o ministério da Saúde.

Doria, apesar do sucesso com as vacinas, não conseguiu aumentar sua popularidade em nível nacional.

Eduardo Leite é visto como um nome regional, colocado no cenário por adversários internos de Doria mais para servir de “escudo” contra a candidatura do governador de São Paulo.

Sérgio Moro correria na mesma raia de Huck, sobretudo por ser, como o apresentador, popular, nacionalmente conhecido e com bom “potencial de largada”.

 

fonte: Thaís Oyama, UOL

Compartilhe: