Câmara de SP articula lei para privilegiar vacinação de funcionalismo

Suscetíveis a pressões de servidores públicos e interessados em dar uma resposta para suas bases eleitorais, vereadores de São Paulo articulam a aprovação relâmpago de um projeto de lei que autoriza que um grupo de até 300 mil pessoas passem na frente na fila de vacinação na cidade de São Paulo e sejam imunizadas antes da população em geral.

A autorização valeria para as cerca de 5 milhões de doses que a Prefeitura negocia com laboratórios privados.

Na terça-feira, 23, após o presidente do Legislativo paulistano, Milton Leite, levar o assunto à reunião semanal dos líderes de bancadas, o tema passou a ser a única coisa discutida na Câmara Municipal.

“Quando se fala de funcionalismo público, direto ou indireto, não estamos querendo colocar privilégios. Estamos falando da manutenção de políticas públicas”, afirmou a vereadora Luana Alves (PSOL).

Compartilhe: