Bolsonaro prepara ofensiva contra plataformas de redes sociais

A menos de um ano e meio das eleições, o presidente Jair Bolsonaro planeja mudanças no Marco Civil da Internet para frear o que classifica como “cerceamento” digital em seus perfis e de aliados.

Ao menos 18 vídeos e posts publicados pelo presidente desde o início da pandemia foram removidos pelo TwitterInstagram YouTube .

A intenção é proibir a remoção de publicações sem autorização judicial e, em última instância, impedir uma suspensão, como ocorreu com o ex-presidente americano Donald Trump.

Na semana passada, o Twitter informou que o perfil do republicano, suspenso desde janeiro, seguirá fora do ar por dois anos.

A discussão sobre regular as redes chegou ao Comitê Gestor da Internet no Brasil.

Com mais de 18,3 milhões de seguidores no Instagram, 14 milhões no Facebook e 6,7 milhões no Twitter, Bolsonaro não só teve sua vitória em 2018 totalmente calcada nas redes sociais como mantém uma comunicação direta de governo pelas plataformas.

Compartilhe: