Moro defende reformas no STF e fim do foro privilegiado

Em conversa com empresários do grupo Personalidades em Foco Sérgio Moro disse que, se eleito presidente, não será “um anjo vingador” contra políticos, mas falou em “movimento de anulação de condenações que gera descrédito, ruim para as instituições”.

Nesse último ponto, o ex-juiz respondia a questionamentos sobre o STF.

“Compartilho dessa crítica, com a ressalva de que sou institucional. O remédio para isso são mudanças e reformas que melhorem nossas instituições. O mero ataque e o desrespeito não é algo que constrói. É preciso pensar em reformas institucionais no STF. Transformá-lo num tribunal constitucional e pensar em mandato para os ministros.”

Há hoje uma excessiva verticalização, tudo pode chegar ao Supremo. Precisa resolver as coisas em primeira e segunda instâncias”, disse.

Moro disse apostar na articulação política feita ainda na pré-campanha como caminho para aprovar reformas e medidas imediatas: fim da reeleição e do foro privilegiado logo no início de um eventual mandato.

“A dificuldade é fazer a demanda por reformas essenciais vencer os interesses setoriais e corporativos.”

Compartilhe: