Bolsonaro privatiza Eletrobras por R$ 33,7 bilhões

O governo Bolsonaro concluiu nesta 5ª feira o processo de privatização da Eletrobras.

Com o fim do bookbuilding –quando se avalia a demanda do mercado–, a Diretoria Executiva da empresa estabeleceu o preço de R$ 42 por ação.

Pelo valor fixado, a privatização da Eletrobras deve movimentar R$ 33,7 bilhões, com a venda dos lotes extras de ações inclusos no valor.

Na parcela primária da oferta, a companhia deve captar R$ 30,76 bilhões.

Do total, R$ 26,4 bilhões devem vir com a venda do lote inicial de 627,7 milhões de novas ações ordinárias.

Outros R$ 4,4 bilhões devem ser acrescidos com o lote suplementar de ações.

Já a BNDESPar, braço de participações do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), venderá 69,8 milhões de ações por R$ 2,9 bilhões. …

A demanda chegou a R$ 9 bilhões entre os investidores que usaram recursos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) para reservar ações.

Entretanto, a parte da oferta destinada a esse grupo era de R$ 6 bilhões, o que resultará em um rateio proporcional dos papéis entre os interessados.

Isso significa que os investidores comprarão menos ações do que haviam planejado.

PRÓXIMOS PASSOS

Nesta 6ª feira os ADRs –certificados de ações emitidos por bancos dos Estados Unidos– começam a ser negociados na Bolsa de Nova York.

O início das negociações dos papéis na B3 será em 13 de junho.

LULA É CONTRA PRIVATIZAÇÃO 

Nas diretrizes de seu plano de governo, o ex-presidente e pré-candidato a Presidência pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva, formalizou oposição à venda de estatais.

Compartilhe: