FMI rasga elogio a gestão econômica de Bolsonaro na pandemia

A líder do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, expressou aprovação à maneira como o Banco Central (BC) do Brasil tem dirigido a política monetária.

Georgieva enfatizou a proatividade da instituição ao aumentar a taxa Selic durante a pandemia.

A chefe do FMI expressa admiração pelas políticas econômicas brasileiras durante a administração Bolsonaro e afirma que o Banco Central adotou as ações adequadas.

“A resposta precoce e resoluta do Brasil ao aumento da inflação durante a pandemia é um bom exemplo de como a formulação ágil de políticas pode compensar. 

O Banco Central do Brasil foi um dos primeiros bancos centrais a aumentar a sua taxa de juros e depois a afrouxar a política à medida que a inflação voltava a atingir o seu intervalo-alvo”, escreveu a diretora-gerente em um texto para o blog do FMI.

Georgieva mencionou não apenas a política monetária, mas também a reforma tributária, uma medida que ela louvou e descreveu como “histórica”.

fonte: Folha Destra

Veja mais notícias em: www.mspontocom.com.br

Nosso twitter: @mspontocom

Compartilhe: